6 de setembro de 2007

Alma vazia



Aparentemente mutilada
de uma luta árdua
ferida quente
assoberbada pela disputa
de uma alma penada

errante
sem pudor
nem preconceito

Coração trespassado
acorrentado às trevas
à espera da luz
que traga carícias
delícias de Minerva

gritos
ardentes
eloquentes

Reflexo estranho
causado pela ira
imagem fria
desgastada
rugas tatuadas

Alma vazia


  • Tatuagem de Chris Garver

6 comentários:

Navegante Do Amor disse...

Obrigado pela sua visita.Sempre que puder passe lá. Bom fim de se semana que se aproxima e parabens pelo seu espaço.

serenidade disse...

Uma imagem super dolorosa reflectida nas lágrimas de sangue. Nunca faria uma tatuagem, muito menos desta imagem que nem num quadro a colocaria na parede. Extremamente dor reflecte, tal como as tuas palavras. A alma nunca está vazia... quando a sentimos assim é porque não usufruimos o sufieciente do silêncio para conversar e estar em harmonia com ela-alma.

Mais um post muito sentido, de uma força tremendamente dolorosa. Que os dias de Sol no teu ser se aproximem a passo largos e apressados:)
Permite a Primavera no teu coração e na tua alma:)

Serenos sorrisos

Claudia Perotti disse...

A imagem ilustra perfeitamente o poema e aqueles dias em que a alma sangra de dor.

Beijinhossss

Daniel disse...

A luz espera tb por nós. Falta saber quem dará o primeiro passo...

Luz&Amor disse...

Coração trespassado
acorrentado às trevas
à espera da luz
que traga carícias
delícias de Minerva

Lindo poema, parabéns!
Para agradecer a visita e dizer que seu cantinho é belo.
Beijos e bom findi semana.

Papoila disse...

Alma vazia e tão cheia de mágoas... campanheiro

BF
Jinhos